Whatsapp

Author : Dr. Ahmed

HomeArticles Posted by Dr. Ahmed
Mulher sorrindo com as mãos no cabelo

Autoestima

Por Fátima Gilvaz
A autoestima é uma avaliação subjetiva, positiva ou negativa que a pessoa faz de si mesma a partir de emoções, ações, crenças, aparência, comportamentos ou qualquer outro tipo de conhecimento de si próprio.
Autoestima positiva pertence ao indivíduo satisfeito com a sua identidade, ou seja, uma pessoa dotada de confiança e que valoriza a si mesmo.
Gostar de si mesmo, acreditar no seu potencial, confiar na sua capacidade e se respeitar são elementos básicos na definição de autoestima positiva.
Ela determina a maneira como as pessoas se relacionam com o mundo, encaram os desafios da rotina diária e se protegem ou se expõem em situações que exigem controle emocional.
Pessoas, com autoestima negativa sentem-se totalmente incapazes, incompletas e desvalorizadas.
Os dramas da vida são reflexo das visões mais íntimas que se tem de si mesmo.
Inúmeras pessoas sofrem de sentimentos de inadequação, insegurança, dúvida, culpa e medo de uma participação plena na vida – um sentimento vago de “eu não sou suficiente”. Esses sentimentos nem sempre são reconhecidos, mas eles existem.
Com isso, começa uma busca infinita da autoestima. Principalmente nas mulheres, essa busca começa pela aparência, e então se inicia a sessão de inúmeras mudanças: no cabelo, forma de se vestir, formas do corpo, e isso gera compras e mais compras para suprir uma falta que, na maioria das vezes, não se sabe bem o que é, um vazio que não se preenche nunca. Uma insatisfação imensa, na maioria das vezes sem fundamento, sem por quê.
Tudo isso vai mais além. A insatisfação com a aparência e com o corpo fazem muitas pessoas passarem anos de suas vidas se escondendo em corpos que não as agradam, que as envergonham. Por horas querem ser invisíveis, para que o mundo não visse as falhas que mais as atormentam. Vivem aprisionadas em deficiências ou diferenças que julgam as mais difíceis de serem encaradas e expostas ao mundo.
Isso faz com que essas pessoas se sintam diminuídas, excluídas, observadas e julgadas por sua aparência, por pontos em seus corpos que, de tanto que incomodam, acabam virando monstros e que se transformam em problemas psicológicos reais, que impedem, muitas das vezes, que essas pessoas, cresçam como pessoas e como profissionais.
Esses pontos são cruciais para que essas pessoas se permitam serem vistas e ouvidas. Na maior parte, elas se inibem e se escondem dentro delas mesmas. O medo de serem observadas e principalmente julgadas, é tão apavorante, que a única solução que se consegue enxergar naquele momento é o anonimato.
Com o passar dos anos, com a evolução da medicina e a tecnologia, podemos ter acesso a inúmeras práticas e evoluções da cirurgia plástica. Todo esse estudo e interesse no avanço dessa maravilhosa especialidade da medicina trouxe a libertação da maior parte das pessoas que aqui buscam sua solução, porque se pode ter acesso a todo um conjunto de opções de recursos. Tudo isso veio, de certa forma, facilitar e ajudar nos tratamentos psicológicos que tratam o maior mal da atualidade: a autoestima.
Quanto maior a autoestima, maiores serão as possibilidades de manter relações saudáveis. Quanto mais elevada a autoestima, mais inclinado se está a tratar o outro com respeito, benevolência e boa vontade, pois o outro não será visto como ameaça, porque você não estará se sentindo um “estranho e amedrontado no mundo”.
Quanto mais alta a autoestima, mais alegria você terá, pelo simples fato de você ser, de despertar pela manhã, de viver dentro do próprio corpo. São essas as recompensas que a autoconfiança e o auto-respeito oferecem.
Quando criança, a autoconfiança e o autorrespeito podem ser alimentados ou destruídos pelos adultos – conforme tenham sido respeitados, amados, valorizados e encorajados a confiar em si mesmo. Mas, com o passar dos anos, as escolhas e decisões são muito importantes para o desenvolvimento da autoestima.
Você pode ser amado por sua família, por seu(sua) companheiro(a) e por seus amigos e, mesmo assim, não amar a si mesmo(a). Pode ser admirado por seus colegas de trabalho e mesmo assim ver-se como um inútil. Pode projetar uma imagem de segurança e uma postura que iludam virtualmente a todos, e ainda assim tremer secretamente ao sentir sua inadequação.
Pode preencher todas as expectativas dos outros e falhar em relação às suas próprias; pode ser adorado por milhões e despertar todas as manhãs com a sensação de fracasso e vazio.
A tragédia é que existem muitas pessoas que procuram a autoconfiança e a autoestima em todos os lugares, menos dentro delas mesmas, e assim, fracassam em sua busca.
A autoestima positiva pode ser entendida como um tipo de conquista espiritual, isto é, uma vitória na evolução da consciência.
A autoestima saudável é também o fundamento da serenidade do espírito que torna possível desfrutar a vida.

Cirurgião plástico marcando o corpo para cirurgia plástica

O que é lipoaspiração?

Muita gente pensa que a lipoaspiração é um procedimento de remoção de gordura localizada apenas na região abdominal, mas a lipo pode ser feita em outras regiões do corpo que possuem gordurinhas que incomodam e que não são possíveis de serem retiradas apenas com atividade física.

Por isso, a lipoaspiração é um procedimento médico indicado para retirar gordura do corpo, não importa onde ela esteja, se está incomodando o paciente, homem ou mulher, o cirurgião plástico pode remodelar áreas específicas do corpo, melhorar o contorno e criar uma proporção mais harmônica.

A remoção de gordura localizada abaixo da pele pela lipoaspiração representa uma revolução na cirurgia plástica. Saber apenas o que é lipoaspiração é importante, mas é essencial saber como a cirurgia é feita. O médico usa uma cânula que tem orifícios na extremidade. Pequenas perfurações na pele criam o acesso para a cânula, que é infiltrada na região escolhida para a remoção da gordura concentrada.

O médico infiltra adrenalina diluída e soro fisiológico. Essas substâncias agem para reduzir o calibre dos vasos sanguíneos na área, reduzindo as chances de sangramento por causa da movimentação da cânula.

A gordura localizada começa a ser, literalmente, aspirada pela cânula. Se a gordura for reutilizada para modelar outra área do corpo, é importante saber o que é lipoaspiração e o que é lipoescultura, nome da técnica que usa a própria gordura do paciente para aumentar o volume de uma área desejada, como dos glúteos, por exemplo.

Todas as pessoas podem fazer lipo?

Não são todas as pessoas que podem fazer lipo. O primeiro passo para a lipoaspiração é marcar uma consulta com o especialista, como o Dr. André Ahmed. O médico explica o que é lipoaspiração para o paciente, tira dúvidas, solicita exames pré-operatórios e verifica se o paciente tem contraindicações para a lipoaspiração.

Pacientes obesos, em geral, não possuem indicação para fazer lipo, já que o resultado não costuma ser satisfatório. O médico também precisa avaliar na consulta a qualidade da pele, já que a qualidade da retração é essencial no período pós-operatório.

A finalidade da lipoaspiração é esculpir o corpo. Por isso, pacientes que estão próximos do peso adequado, frequentemente, possuem indicação para fazer lipo e conseguem ter um bom resultado.

Onde é feita a lipoaspiração?

Agora que você já sabe o que é lipoaspiração e a indicação para fazer lipo, é muito importante prestar atenção nesta explicação. A lipoaspiração é feita em centro cirúrgico, ambiente que possui toda infraestrutura médica para garantir segurança ao paciente durante o procedimento.

Não é um procedimento simples feito em ambiente clínico de forma improvisada. Se a região da lipoaspiração for grande, as anestesias peridural ou geral podem ser necessárias.

É essencial procurar um médico-cirurgião plástico sério, preparado, experiente e de confiança. Na consulta, o médico explica ao paciente todas as etapas da lipoaspiração e quais são os resultados esperados para a área do corpo que incomoda mais.

A clínica do Dr. André Ahmed, cirurgião plástico no Rio de Janeiro, conta com uma imensa variedade de procedimentos estéticos e com profissionais altamente qualificados, visando sempre a beleza, a saúde e o seu bem-estar.Entre em contato e faça uma avaliação!

Doctors and patients sit and talk to the patient about medication. At the table near the window in the hospital.

Dr. André, quanto custa uma cirurgia plástica?

Vemos constantemente pessoas interessadas em saber quanto custa uma cirurgia plástica, muitas vezes buscando essa informação pela internet. Claro que ter um planejamento financeiro é importante, mas aí vai a dica mais valiosa para você que está interessado(a) em realizar uma cirurgia plástica.

Não coloque preço como único critério de escolha, pois o barato pode sair caro. Afinal, quanto custa a sua vida?

Saiba também que o médico não pode ter uma abordagem meramente comercial na divulgação de seus serviços. Inclusive, a exposição de preços na internet é uma ação vetada pelo Conselho Federal de Medicina.

É evidente também que os orçamentos são individualizados de acordo com o planejamento de cada caso. Apenas um exame físico minucioso será capaz de estipular o grau de esforço demandado na cirurgia de cada paciente.

Não perca a oportunidade única e exclusiva de ir a uma consulta e conhecer de perto seu cirurgião, tirar suas dúvidas, entender a relação risco-benefício para o seu caso, saber com detalhes o que será necessário para atingir o resultado que deseja (ou mais próximo do que deseja).

Fique atento(a) ao local que será realizado a cirurgia, o ideal é pesquisar antes o hospital ou clínica onde será o procedimento (quais os materiais, sua qualidade, fabricantes).

Outro fator relevante é o tipo de procedimento que será realizado. Cirurgias de maior porte, como mamoplastia redutora, abdominoplastia e lipoaspiração, demandam uma equipe maior, mais tempo e uso de aparelhos e materiais.

Outros tópicos que influenciam nos custos:

  • internação
  • anestesia e todo aparato cirúrgico
  • profissional anestesista
  • equipe cirúrgica
  • medicamentos
  • malha cirúrgica
  • meias de compressão
  • sutiã pós-cirúrgico
  • próteses de silicone

Após receber o orçamento da sua cirurgia, avalie os dados suficientes para decidir operar ou não. Diga-se de passagem, uma cirurgia plástica pode mudar por completo sua vida, seu psicológico, sua autoestima, pelas mãos de um profissional que estudou muito para lhe entender e lhe oferecer o que você verdadeiramente precisa para encarar o mundo de uma maneira muito melhor! Uma campanha pela não banalização da cirurgia plástica!

A clínica do Dr. André Ahmed, cirurgião plástico no Rio de Janeiro, conta com uma imensa variedade de procedimentos estéticos e com profissionais altamente qualificados, visando sempre a beleza, a saúde e o seu bem-estar. Entre em contato e faça uma avaliação!

Adolescentes em fila

Cirurgia plástica na adolescência

Dados da SBCP, Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, revelaram que o Brasil é um dos países que mais realiza procedimentos estéticos no mundo. E entre as intervenções mais comuns estão a lipoaspiração e a colocação do silicone mamário

Outra fato que chamou atenção na pesquisa é a quantidade de jovens que buscam essas cirurgias com finalidades estéticas. Acredita-se que 5,7% de todos os procedimentos nacionais são feitos em pessoas de 13 a 18 anos.

Essa faixa etária aumentou a busca por intervenções plásticas cirúrgicas em 56,6%, em comparação a dados de 2009 a 2014, e esses números tendem a progredir ainda mais.

Mas o que motiva esse aumento?

Essa procura cada vez maior por cirurgias plásticas na adolescência pode ser motivada por diferentes razões, como, por exemplo, a maior popularização desses procedimentos no Brasil. Hoje em dia, é muito mais simples consultar-se e realizar uma intervenção para fins estéticos.

Existe idade mínima para as cirurgias plásticas?

A idade mínima e ideal para a realização da cirurgia depende muito do procedimento buscado por cada paciente. Confira as intervenções mais comuns entre os jovens e quando é mais indicado realizá-las.

Otoplastia: uma das cirurgias mais comuns em jovens e até em crianças é a Otoplastia:, procedimento que visa corrigir a região da orelha. Essa intervenção pode ser feita a partir dos 6 anos de idade.

Prótese de silicone nas mamas: já para a colocação de silicone, o mais indicado é esperar o final do desenvolvimento mamário.

Correção facial: para outras intervenções, como as faciais, é imprescindível que o crescimento ósseo esteja completo. Só depois disso é que as cirurgias de queixo, nariz e mandíbula podem ser feitas.

Quais são as vantagens em fazer procedimentos já na adolescência?

O principal benefício em realizar cirurgias estéticas durante a juventude é já devolver a qualidade de vida aos pacientes, principalmente para aqueles que se sentem desconfortáveis e sofrem com sua aparência. Outro fator importante é que os adolescentes tendem a se recuperar mais facilmente depois de uma intervenção.

Os pais precisam autorizar as cirurgias em adolescentes?

Para os jovens menores de 18 anos, é obrigatório que os pais ou responsáveis emita uma autorização para que a cirurgia plástica possa ser realizada pelo médico especialista.

Onde fazer esses procedimentos com segurança?

É importante que a cirurgia plástica seja feita exclusivamente em um local confiável e seguro, por um profissional experiente e que já some anos de tradição em sua especialidade. A clínica do Dr. André Ahmed,cirurgião plástico no Rio de Janeiro, conta com uma imensa variedade de procedimentos estéticos e com profissionais altamente qualificados, visando sempre a beleza, a saúde e o seu bem-estar. Entre em contato e faça uma avaliação!

Corpo feminino

O umbigo na abdominoplastia

O assunto de hoje parece um tabu para quem já procurou sobre abdominoplastia. Muitas pessoas dizem ter receio do aspecto final do umbigo após o procedimento. O fato de haver uma pequena cicatriz em torno do umbigo pode assustar no primeiro momento, porém, se analisarmos com cuidado toda essa questão, lembremos que o umbigo por si só já é uma cicatriz por natureza, que é chamada de cicatriz umbilical.

O cordão umbilical, que até o nascimento do ser humano servia para o suprimento de nutrientes e para trocas gasosas, incluindo a passagem de oxigênio e gás carbônico, após seu desprendimento do corpo, deixa como uma marca remanescente, a cicatriz umbilical, ou simplesmente chamada de umbigo.

Posicionado numa região mais inferior do abdômen, o umbigo representa uma importante unidade estética para a composição do abdômen.

“Certa vez, um paciente me perguntou se eu poderia fazer a abdominoplastia e deixá-lo sem umbigo! Obviamente, recusei o pedido… rs”.

Indicação

Muitas pessoas que apresentam pele em excesso e buscam a abdominoplastia exibem claramente esse aspecto de flacidez em torno do umbigo, ou seja, uma sobra de pele recaindo sobre o próprio umbigo, que fica escondido em meio a dobras da região adjacente.

Essa é a característica do umbigo da maioria das mulheres que precisam de uma abdominoplastia. Para tais pacientes candidatas a essa cirurgia, e que recorrem ao procedimento, o umbigo resultante da abdominoplastia apresenta aspecto muito melhor do que o original que havia antes de operar.

Resultado

Um umbigo bem confeccionado nessa cirurgia é etapa fundamental para se obter um resultado harmonioso. Portanto, a técnica operatória e um capricho na forma de se realizar a sutura são imprescindíveis. Claro que a qualidade de cicatrização do organismo do(a) paciente também influencia muito. Não precisa nem dizer que seguir as recomendações pós-operatórias é fundamental.

Outra observação importante: o tabagismo influencia negativamente qualquer processo de cicatrização!

O umbigo será retirado de um lugar e colocado em outro?

NÃO. O umbigo permanece aderido à parede muscular do abdômen. Em outras palavras, ele fica inserido na mesma região durante toda a cirurgia. O que acontece na realidade é que a pele que antes estava localizada acima do umbigo irá descer, sendo tracionada para baixo, devido à retirada de pele abaixo do umbigo. Portanto, o umbigo é desconectado da pele ao redor, por meio de uma incisão em torno dele, permanecendo aderido profundamente ao músculo e, por meio de um novo orifício realizado na pele que estava mais acima e que irá descer, será reconectado a essa pele. Confuso? Deixe essa tarefa para o cirurgião! Os resultados conseguidos para o umbigo na abdominoplastia, numa cirurgia bem conduzida, são animadores!

Sempre que possível, os(as) pacientes que pretendem se submeter a essa cirurgia devem ser incentivados a entrarem em contato com outros que já passaram por ela, para que se possa ter acesso ao grau de satisfação e aos benefícios sentidos por quem antes da cirurgia tinha vergonha de ir à praia, e hoje se vê realizado com seu abdômen!
Espero poder ter desmistificado um pouco essa questão. Será um prazer poder sanar outras eventuais dúvidas. Fiquem com Deus!

A clínica do Dr. André Ahmed, cirurgião plástico no Rio de Janeiro, conta com uma imensa variedade de procedimentos estéticos e com profissionais altamente qualificados, visando sempre a beleza, a saúde e o seu bem-estar. Entre em contato e faça uma avaliação!

Mulher segurando seios com faixa cirúrgica

Mamoplastia e recuperação: como funcionam?

Mamoplastia é o nome dado à cirurgia plástica realizada na região dos seios, podendo ser realizada para quatro finalidades:

  • Aumentar
  • Reduzir
  • Reparar
  • Levantar – Mastopexia.

Sendo assim, trata-se de um procedimento indicado, sobretudo, para mulheres cujas mamas apresentam um tamanho não desejado por elas – menor ou maior -, bem como outras alterações como flacidez e assimetrias (um lado diferente do outro). Além disso, mamas grandes demais, que compõem um quadro chamado hipertrofia mamária, além de causarem incômodo estético, também podem levar a dores na coluna e até mesmo dificuldade para higiene. Quando as mamas apresentam flacidez, normalmente se apresentam numa posição mais baixa do que o normal. Nós, cirurgiões plásticos, conhecemos esse quadro com ptose mamária.

Em todo e qualquer caso, é fundamental a orientação adequada das pacientes, para que não existam complicações, principalmente, na fase pós-cirúrgica. Além disso, é essencial que quem deseja passar por esse tipo de intervenção se certifique de que a clínica escolhida e os profissionais que atuam nela são de boa procedência e verdadeiramente confiáveis. Caso contrário, o preço pago pode ser muito maior do que, simplesmente, os custos com a cirurgia, acarretando danos irreversíveis à saúde e ao bem-estar.

Como é o pré-operatório da mamoplastia?

Um dos principais momentos no processo da cirurgia de mamoplastia é o pré-operatório, já que é nesta fase que são definidos diversos fatores importantes. A etapa inclui conversas com o cirurgião plástico para esclarecimento de dúvidas, bem como a realização de todos os exames necessários. Tudo isso é imprescindível para observar o estado clínico da paciente e quais tipos de complicações poderiam ocorrer, com base no quadro médico apresentado.

Caso seja decidido pela utilização de prótese mamária, a escolha desta será feita em consenso entre médico e paciente, variando de acordo com o tipo de mamoplastia realizada e as características físicas da paciente. Há, ainda, outros aspectos avaliados, como a quantidade de tecido mamário a ser retirado, em casos de mamoplastia redutora e mastopexia.

O procedimento e tipos de anestesia

Em qualquer hipótese, a mamoplastia deve ser realizada em ambiente hospitalar. É fundamental que haja toda a estrutura necessária para atender a paciente, sobretudo, se ocorrerem complicações. O procedimento se dá em centro cirúrgico. O tipo de anestesia depende do caso. Deverá ser utilizada anestesia geral em caso de cirurgias de maior porte, como mamoplastia redutora e mastopexia. Já para os casos de simples inclusão de prótese sem retirada de pele, anestesia local associada à sedação pode ser uma ótima escolha, com conforto para a paciente. Porém, cada caso será decidido individualmente, mediante avaliação conjunta do cirurgião e anestesista.

O tempo médio de duração da cirurgia depende do tipo de procedimento realizado. Para inclusão de próteses mamárias, sem retirada de pele, por exemplo, é possível que a cirurgia esteja encerrada entre 60 a 90 minutos. Já para casos mais complexos, a cirurgia pode se estender mais, dependendo de suas peculiaridades. Quando há retirada de pele para suspensão da mama (mastopexia), ou quando é necessária a retirada de tecido mamário interno (mamoplastia redutora), o tempo de cirurgia pode passar de 3 horas. Lembremos que o tempo que a paciente permanece no centro cirúrgico é maior do que o tempo da cirurgia, pois devemos levar em consideração o período para que ela seja anestesiada antes da cirurgia, e também a recuperação da anestesia quando a cirurgia termina. Isso é importante ser avisado para os acompanhantes da paciente que aguardam no quarto, para que o aparente tempo aumentado de cirurgia não gere preocupação.

Posteriormente, são aplicados curativos elásticos e modeladores, que colaboram com a recuperação e cicatrização da região. Estes itens devem ser trocados periodicamente, de acordo com o que for determinado pelo médico, a fim de manter a higienização e promover a rápida recuperação.

Cuidados pós-operatórios essenciais para quem passa por cirurgia de mamoplastia

Em mamoplastias, na maioria dos casos, a alta se dá no mesmo dia da cirurgia. Na menor parte dos casos, a internação chega a 24h.
É importante que a paciente permaneça em repouso, sem mexer muito os braços durante os dias de pós-operatório, e somente retorne às suas atividades conforme liberação do especialista. Em geral, tarefas cotidianas costumam ser permitidas mais cedo do que aquelas que exigem maior esforço físico. Apenas o cirurgião plástico pode indicar o que está liberado ou não, de acordo com a recuperação de cada pessoa. Isso será avaliado durante as consultas de retorno.

De uma maneira geral, o tempo de recuperação é de 2 semanas a 1 mês, dependendo da complexidade do procedimento. Esforços maiores, como musculação, são liberados com 2 meses. Exposição ao sol normalmente deve ser evitada nos 2 a 3 primeiros meses, e após esse período, caso a paciente resolva ir à praia, por exemplo, deve ainda usar protetor solar nas cicatrizes. O sutiã cirúrgico é um importante aliado e deve ser usado continuamente por 6 semanas em média. Diversos tratamentos para a cicatriz serão implementados de acordo com o caso, como curativos especiais e fita de silicone, dentre outros.

Uma boa recuperação para cirurgia de mamoplastia também exige alimentação saudável e uso dos medicamentos indicados pelo médico.

A clínica do Dr. André Ahmed, cirurgião plástico no Rio de Janeiro, conta com uma imensa variedade de procedimentos estéticos e com profissionais altamente qualificados, visando sempre a beleza, a saúde e o seu bem-estar. Entre em contato e faça uma avaliação!

Mão feminina segurando próteses de silicone

Mitos e verdades sobre a prótese de silicone

O implante de próteses de silicone está entre os procedimentos cirúrgicos mais realizados em todo o mundo. Atualmente, o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking de países com maior procura, atrás somente dos Estados Unidos. De acordo com o levantamento mais recente, organizado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), cerca de 22,5% das intervenções médicas executadas por aqui são referentes ao aumento dos seios.

Apesar de ser um procedimento relativamente simples, é comum surgirem diversas dúvidas entre aquelas que desejam colocar silicone. Por isso, vamos esclarecê-las!

Em geral, a cirurgia costuma durar de 60 a 90 minutos e pode ser feita com anestesia local associada à sedação profunda, ou anestesia geral. A paciente se interna no dia da cirurgia, passa pelo procedimento, e, na maioria dos casos, tem alta no mesmo dia, para ir dormir em casa. Apenas em alguns casos, há necessidade de pernoitar no hospital até o dia seguinte.

Qual é a vida útil de um implante mamário?

Não há prazo definido para troca das próteses, como havia antigamente, quando se determinava 10 anos para a troca. O que deve ser feito é uma avaliação periódica, de tempo em tempo, com exame de imagem.

O silicone impede o diagnóstico de câncer de mama?

Não. Possuir implante de silicone nos seios requer cuidados e realização dos devidos exames periodicamente, seguindo a orientação médica. Há uma maneira específica de fazer a mamografia em pacientes que possuem próteses, com o objetivo de mostrar melhor ao radiologista o tecido mamário para diagnóstico de nódulos com potencial cancerígeno. Quando existe alguma dúvida após o procedimento, é possível realizar uma ressonância para a confirmação ou descarte da hipótese de câncer de mama.

Pacientes com implante de mama podem fazer exame de mamografia?

A paciente que possui implante de silicone nos seios poderá realizar exames periodicamente, seguindo a orientação médica. Exames de imagem, como mamografia e ressonância magnética serão feitos normalmente, mesmo com a presença da prótese mamária, que não atrapalha o diagnóstico de nódulos benignos e câncer de mama.

As próteses prejudicam ou impedem a amamentação?

Estudos realizados ao longo dos últimos anos confirmaram que as próteses mamárias não prejudicam ou impedem a amamentação. A cirurgia é realizada por trás da glândula mamária e, desse modo, não viola o sistema que produz e armazena o leite materno

.

A prótese de silicone pode sair do lugar, girar ou se romper?

É raro acontecer, principalmente quando utilizamos próteses de boa qualidade.

Existe uma idade correta para operar?

Não existe uma idade ao certo para realizar a cirurgia de prótese de mama. Pode ser feito a partir da idade em que o tecido mamário chega à sua maturidade final em relação à formação.

Existe uma época melhor para fazer a cirurgia?

A melhor época é aquela que permite à paciente realizar repouso moderado e seguir corretamente as recomendações médicas pré e pós-operatórias. A recuperação se dá em 2 a 3 semanas, período em que se deve evitar mexer muito os braços. Com 30 dias, já poderá fazer caminhadas leves com uso de sutiã pós-cirúrgico. Aos poucos, seu médico irá te liberando para determinadas atividades, até que em 2 meses você possa levar uma vida normal.

Posso colocar o volume que quiser?

Não. O cirurgião é quem fará uma análise do corpo da paciente e definirá, com base em exames completos, o volume máximo a ser aplicado. Além disso, são levados em consideração aspectos como as medidas precisas do tórax. Cada caso é um caso e, por isso, nem sempre a prótese que caiu bem em uma pessoa ficará boa em outra.

Será necessário colocação de dreno de aspiração?

Apenas em poucos casos selecionados, principalmente quando a prótese é colocada em plano submuscular, e quando se faz retirada de pele para suspensão da mama (mastopexia), visando uma melhor recuperação, menos dor, menos inchaço e melhor cicatrização nesses casos. O dreno, quando utilizado, é retirado na consulta de retorno.

Quando se coloca prótese submuscular?

Em geral, esses casos ficam reservados para pacientes que não têm nenhum ou muito pouco tecido mamário (mamas extremamente pequenas), para que a prótese tenha uma melhor cobertura e não fique praticamente em contato próximo à pele.

Cuidados especiais para quem realiza cirurgia plástica

Quem se submete à cirurgia de prótese de silicone precisa obrigatoriamente seguir as recomendações médicas. Dependendo da situação, pode ser necessário manter a região operada seca, sem molhar durante os primeiros 7 dias em média. Durante esse período, não há quase nenhuma troca de curativos. Deve-se tomar os antibióticos e analgésicos prescritos da forma correta, evitar exposição ao sol, manter uma alimentação leve e saudável, fazer repouso, não mexer muito os braços (principalmente nas duas primeiras semanas), e usar o sutiã cirúrgico durante cerca de 6 semanas. Em geral, pacientes dizem que a recuperação é tranquila.

A clínica do Dr. André Ahmed, cirurgião plástico no Rio de Janeiro, conta com uma imensa variedade de procedimentos estéticos e com profissionais altamente qualificados, visando sempre a beleza, a saúde e o seu bem-estar. Entre em contato e faça uma avaliação!

Mulher de touca cobrindo o rosto com cachecol

5 Dicas de como cuidar da pele no inverno

É só o inverno começar para a rotina em casa mudar um pouco. O banho de manhã, por exemplo, passa do morno para o mais quente. Já o tempo embaixo do chuveiro ganha alguns, ou até muitos minutos a mais.

Muitos brasileiros acabam se rendendo a este conforto, porém poucos tomam os cuidados necessários com a pele. A temperatura elevada da água do chuveiro pode até estar adequada para encarar o frio do começo do dia, mas ela pode prejudicar a saúde do maior órgão do corpo humano. A umidade relativa do ar também influencia.

Por isso, veja algumas dicas preparadas pelo Dr. André Ahmed para manter a saúde da sua pele no inverno.

1- Não abuse do chuveiro

É só a estação mais fria do ano chegar, para que a temperatura do equipamento seja alterada. Porém, a água muito quente é prejudicial para a pele e couro cabeludo. A temperatura muito elevada provoca o ressecamento e aumenta a produção de sebo. A orientação para manter a saúde da pele no inverno é banhar-se com água morna. Encontre um meio termo que seja confortável. E lembre-se: escolher um sabonete com função hidratante pode tornar o banho ainda mais reparador.

2- Utilize cremes hidratantes

Como a pele no frio está mais fragilizada, uma dica é redobrar os cuidados com a hidratação. Hoje o mercado de cosméticos possui uma imensa variedade de produtos para diferentes tipos de cuidados e pele. Mas, antes de levar algum para a casa, leia atentamente o rótulo e dê preferência para hidratantes que tenham em sua composição vitamina C, por exemplo.

Para as mãos e pés, a indicação é usar hidratantes ricos em vitamina E. Outra dica importante é utilizar sempre protetor solar. Independentemente se sua rotina é dentro do escritório ou fora dele, o protetor é fundamental. As lâmpadas também emitem radiação nociva à pele.

3- Beba muita água

Naturalmente, o consumo de água durante o inverno diminui, mesmo assim não podemos nos descuidar. Os médicos recomendam consumir no mínimo dois litros de água por dia para manter o bom funcionamento do organismo.

Além disso, o que muitos não sabem é que alguns chás ajudam a manter a saúde da pele, além de conservarem o corpo aquecido. Chás de cores claras possuem funções hidratantes.

4- Cuidados com os lábios

A fragilidade provocada pelo frio e o vento podem provocar o ressecamento dos lábios. As fissuras são incômodas e, se não cuidadas, podem evoluir para feridas.

Devido à localização e flexibilidade, o processo de cicatrização pode demorar. O uso de hidratantes labiais pode ajudar a mantê-los hidratados. Invista também no uso de manteiga de cacau ou balm.

5- Cuidados especiais com a pele após cirurgias plásticas

A procura por procedimentos estéticos durante o inverno aumenta. A estação dificulta que o corpo inche e a incidência de raios solares são menores. Além disso, com a baixa temperatura, o paciente tem mais conforto para utilizar malhas, cintas e meias compressivas.

Mesmo com essas vantagens, o paciente recém-operado também precisa se atentar para os cuidados com a pele. O ideal é que a atenção seja redobrada, para garantir uma recuperação rápida e saudável. Nesse período, mantenha a hidratação da pele com produtos dermocosméticos e use sempre o protetor solar

A clínica do Dr. André Ahmed conta com uma imensa variedade de procedimentos estéticos e com profissionais altamente qualificados, visando sempre a beleza, a saúde e o seu bem-estar. Entre em contato e faça uma avaliação!

Ptose Mamária | Dr. André Ahmed

Ptose Mamária – O que é isso?

Olá, meninas! Tudo bem? O tema de hoje é muito interessante, como tantos outros na cirurgia plástica, por afetar demasiadamente o psicológico das pacientes portadoras desse quadro.

Mas o que é ptose mamária?

Na medicina, o termo “ptose” se refere a tudo que está abaixo da sua posição original, pela falta de sustentação e ação da gravidade. Portanto, grosso modo, numa linguagem popular, a ptose mamária significa queda das mamas? Em termos coloquiais, sim! Muitos conhecem também como “mamas caídas”, “seios caídos”, “seios flácidos” e etc…

Mas qual a importância de conhecermos mais sobre esse tema?

Esse é um quadro muito prevalente na sociedade. Grande parte das mulheres que sofrem de ptose mamária tem sua autoestima profundamente afetada.

Não foram poucas as pacientes que me procuraram dizendo que tinham sérias dificuldades para se relacionar afetivamente, pois carregavam dentro de si um grave bloqueio para se despir na frente de um homem. É muito comum também o seguinte relato: “Doutor, eu não tiro a roupa na frente do meu marido há anos”.

Muitas delas conseguem se relacionar com seus maridos, entretanto não tiram o sutiã nem nos momentos mais íntimos. Ou o faz com as luzes apagadas, pelo pavor de serem reparadas negativamente. Também não trocam de roupa na frente dos maridos nem na frente de amigas. Obviamente, isso pode acontecer por diversos fatores que afetam a autoestima da paciente, porém o nível de importância dado a essa região do corpo é enorme.

As mamas são um importante símbolo da feminilidade, e seu aspecto denota aquilo que instintivamente está associado à procriação da espécie, pois são elas que fornecem o alimento para o recém-nascido.

Como saber se você tem ptose mamária?

A preocupação por parte de algumas mulheres em saber se de fato carregam essa condição levou a formas inusitadas e até engraçadas de se tentar chegar a uma conclusão diagnóstica. Um exemplo é a tão comentada brincadeira de tentar posicionar um lápis abaixo da mama, verificando se ele fica preso.

Uma avaliação médica é essencial para se estabelecer o diagnóstico, porém você pode ter uma ideia da sua condição, por meio da observação de alguns aspectos, como a posição da aréola. Uma aréola na mesma altura ou abaixo da altura do sulco inframamário (dobra que fica logo abaixo da mama) é característica marcante da ptose mamária. Um deslocamento do volume das mamas inferiormente, ou seja, um abaulamento da região que está abaixo da aréola, associado a um esvaziamento do colo (pólo superior das mamas sem projeção) também é muito comum.

Uma flacidez acentuada da pele, que se apresenta com uma qualidade deteriorada, em geral com presença de estrias, também está presente na maioria dos casos.

As mamas nessa situação também se mostram com conteúdo vazio, sem sustentação e baixa densidade.

Uma aréola aumentada também pode estar presente, bem como aréolas apontadas para baixo.

Por que acontecem todas essas alterações nas mamas?

A gravidez e amamentação são importantes causas, por todas as alterações hormonais sentidas pelo corpo feminino nesses processos. Outras condições que provocam a ptose mamária são o envelhecimento, grandes perdas de peso e história familiar (condição genética).

Há também muitos casos de mulheres jovens, sem filhos e sem nenhuma condição predisponente dessas citadas acima que apresentam ptose mamária severa, por uma simples tendência do organismo, por condição genética.

A falta de hábito de usar sutiã pode avançar o processo para evolução da ptose mamária.

Outros hábitos de vida também se relacionam com o problema, como alimentação desregrada, alcoolismo, sedentarismo, tabagismo, etc… Esses fatores levam a alterações degenerativas nos tecidos de sustentação, provocando o avanço precoce do quadro.

Outra observação interessante é que mamas muito grandes tendem a exibir também algum grau de ptose, pelo próprio peso ao qual a mama é submetida.

Dúvida comum:

“Doutor, se eu malhar bastante, fazendo bastante musculação, consigo evitar que meus seios desenvolvam esse quadro?”

A resposta: infelizmente não… A musculação leva à hipertrofia do músculo peitoral, que está por trás das mamas. Apenas isso. Não melhora a posição, projeção e formato das mamas.

Aqui vale dizer que usuárias de anabolizantes, à base de hormônios masculinos, podem até piorar essa situação, pois essas substâncias levam à atrofia do tecido mamário composto por glândula, que dá lugar a tecido de gordura. A chamada liposubstituição.

Vale lembrar, obviamente, que exercícios físicos aeróbicos e anaeróbicos, realizados de forma equilibrada, são sempre recomendados para a manutenção de uma boa saúde global do organismo.

Quando procurar ajuda?

Se você tem essas características citadas acima e se sente mal com isso ao se olhar no espelho, é hora de procurar ajuda. Depressão, ansiedade, angústia, baixa autoestima, insegurança, falta de autoconfiança e dificuldade para vestir uma roupa que caia bem nessa região são algumas das consequências relatadas. Sinta-se bem com você mesma. Não espere o momento de tomar essa atitude para agradar ninguém. Pergunte-se se não é hora de você se sentir bem com você mesma. A partir disso, tudo é consequência. Portanto, não há por que se sentir envergonhada para admitir que sofre desse problema. Busque ajuda de um bom cirurgião plástico, com familiaridade na cirurgia de mastopexia. Lembre-se: assim como você, muitas mulheres que se encontravam em situação semelhante deram o primeiro passo rumo ao resgate de seu amor próprio, e hoje encontraram a tão sonhada felicidade. Afinal, você já sabe… Autoestima é tudo!

O principal objetivo do Dr. André Ahmed, Cirurgião Plástico no Rio de Janeiro, é satisfazer seus pacientes, trazendo mais bem-estar por meio de correções corporais seguras e com ótimo resultado. Agende sua consulta!

Umbigo | Cirurgia Plástica | Abdominoplastia

O Umbigo na Abdominoplastia

Olá, pessoal!

Hoje vou falar sobre um assunto que parece um tabu para quem já procurou se informar sobre abdominoplastia. Vejo muitas pessoas dizerem que têm receio do aspecto final do umbigo na abdominoplastia. O fato de haver uma pequena cicatriz em torno do umbigo pode assustar num primeiro momento, porém, se analisarmos com cuidado toda essa questão, lembremos que o umbigo por si só já é uma cicatriz por natureza, a cicatriz umbilical.

O que até o nascimento do ser humano servia para o suprimento de nutrientes e para trocas gasosas, incluindo a passagem de oxigênio e gás carbônico, o cordão umbilical após seu desprendimento do corpo, deixa como uma marca remanescente, a cicatriz umbilical, ou simplesmente chamada de umbigo. Posicionado numa região mais inferior do abdômen, o umbigo representa uma importante unidade estética para a composição do abdômen.

Pasmem: certa vez um paciente me perguntou se eu poderia fazer a abdominoplastia e deixa-lo sem umbigo! Obviamente, recusei o pedido… rs

Muitas pessoas que apresentam pele em excesso e buscam a abdominoplastia, exibem claramente essa característica em torno do umbigo, ou seja, uma sobra de pele recaindo sobre o próprio umbigo, que fica escondido em meio a dobras da região adjacente. Para tais pacientes, ou seja, a maioria candidata a essa cirurgia, o umbigo resultante da abdominoplastia apresenta aspecto muito melhor do que o original.

Um umbigo bem confeccionado nessa cirurgia é etapa fundamental para se obter um resultado harmonioso. Portanto a técnica operatória e um capricho na forma de se realizar a sutura são imprescindíveis.

Muitos fatores podem influenciar na obtenção de um bom resultado para a confecção do umbigo, também chamada neo-onfaloplastia. Seguir as recomendações pós-operatórias é fundamental. O tabagismo influencia negativamente qualquer processo de cicatrização. Outro fator fundamental é a qualidade de cicatrização inerente ao organismo.

Uma dúvida comum entre o público leigo em relação à abdominoplastia convencional: “O umbigo será retirado de um lugar e colocado em outro?”

A resposta é: NÃO.

O umbigo permanece aderido à parede muscular, ou ao tecido que liga músculos do abdômen.
Em outras palavras, ele fica inserido na mesma região durante toda a cirurgia. O que acontece na realidade é que a pele que antes estava localizada acima do umbigo irá descer, devido à retirada de pele abaixo e à tração da pele mais acima. Portanto, resumidamente, o umbigo é desconectado da pele ao redor, permanecendo aderido ao músculo por baixo, e por meio de um novo orifício realizado na pele que estava mais acima, será reconectado à mesma.

Ironicamente, já vi casos de cicatrizes horríveis devido ao uso de piercing colocado de forma mal feita no umbigo. Entretanto, os resultados conseguidos para o umbigo na abdominoplastia, numa cirurgia bem conduzida, são animadores!

Sempre que possível, dou aos pacientes que pretendem se submeter a essa cirurgia, a oportunidade de entrarem em contato com outros que já passaram por ela, para que se possa ter acesso ao grau de satisfação e aos benefícios sentidos por quem hoje se vê realizado com seu abdômen!

Espero poder ter desmistificado um pouco essa questão. Será um prazer poder sanar outras eventuais dúvidas.
Fiquem com Deus e até a próxima!

por Dr. André Ahmed

WhatsApp