Blog

HomeNotíciasPtose Mamária – O que é isso?

Ptose Mamária – O que é isso?

Olá, meninas! Tudo bem? O tema de hoje é muito interessante, como tantos outros na cirurgia plástica, por afetar demasiadamente o psicológico das pacientes portadoras desse quadro.

Mas o que é ptose mamária?

Na medicina, o termo “ptose” se refere a tudo que está abaixo da sua posição original, pela falta de sustentação e ação da gravidade. Portanto, a grosso modo, numa linguagem popular, a ptose mamária significa queda das mamas? Em termos coloquiais, sim… Muitos também denominam popularmente de “mamas caídas”, ou “seios caídos”, etc…

Mas qual a importância de conhecermos mais sobre esse tema?

Esse é um quadro muito prevalente na sociedade. Grande parte das mulheres que sofrem de ptose mamária têm sua autoestima profundamente afetada.

Não foram poucas as pacientes que me procuraram dizendo que tinham sérias dificuldades para se relacionar afetivamente, pois carregavam dentro de si um grave bloqueio para se despir na frente de um homem. É muito comum também o seguinte relato: “Doutor, eu não tiro a roupa na frente do meu marido há anos”.

Muitas delas conseguem se relacionar com seus maridos, entretanto não descobrem a região das mamas nem nos momentos mais íntimos. Ou o fazem com as luzes apagadas pelo pavor de serem reparadas negativamente. Também não trocam de roupa na frente dos maridos nem na frente de amigas. Obviamente isso pode acontecer por diversos fatores que afetam a autoestima da paciente, porém o nível de importância dado a essa região do corpo é enorme.

As mamas são importante símbolo da feminilidade, e seu aspecto denota aquilo que instintivamente está associado à procriação da espécie, pois são elas que fornecem o alimento para o recém-nascido.

Como saber se você tem ptose mamária?

A preocupação por parte de algumas mulheres em saber se de fato carregam essa condição levou a formas inusitadas e até engraçadas de se tentar chegar a uma conclusão diagnóstica. Um exemplo é a tão comentada brincadeira de tentar posicionar um lápis abaixo da mama, verificando se ele fica preso.

Uma avaliação médica é essencial para se estabelecer o diagnóstico, porém você pode ter uma ideia da sua condição, por meio da observação de alguns aspectos, como a posição da aréola. Uma aréola na mesma altura ou abaixo da altura do sulco inframamário (dobra que fica logo abaixo da mama) é característica marcante da ptose mamária. Um deslocamento do volume das mamas inferiormente, ou seja, um abaulamento da região que está abaixo da aréola, associado a um esvaziamento do colo (polo superior sem projeção) também é muito comum.

Uma flacidez acentuada da pele, em geral com presença de estrias, também está presente na maioria dos casos.

As mamas nessa situação também se mostram com conteúdo vazio, sem sustentação e baixa densidade.

Uma aréola aumentada também pode estar presente, bem como aréolas apontadas para baixo.

Por que acontece todas essas alterações nas mamas?

A gravidez e amamentação são importantes causas, por todas as alterações hormonais sentidas pelo corpo feminino nesse processo. Outras condições que provocam a ptose mamária são o envelhecimento, grandes perdas de peso e história familiar (condição genética).

Há também muitos casos de mulheres jovens, sem filhos, e sem nenhuma condição predisponente, que apresentam ptose mamária severa, por uma simples tendência do organismo.

A falta de hábito de usar sutiã pode avançar o processo para evolução da ptose mamária.

Outros hábitos de vida também se relacionam com o problema, na medida em que alimentação desregrada, alcoolismo, sedentarismo, tabagismo, etc… ao longo de anos levam a alterações degenerativas dos tecidos de sustentação, provocando o avanço precoce do quadro.

Outra observação interessante é que mamas muito grandes tendem a exibir também algum grau de ptose, pelo próprio peso ao qual a mama é submetida.

Dúvida comum:

“Doutor, se eu malhar bastante, fazendo bastante musculação, consigo evitar que meus seios desenvolvam esse quadro?”

A resposta é: infelizmente não… A musculação leva à hipertrofia do músculo peitoral, que está por trás das mamas. Apenas isso. Não melhoram a posição, projeção e formato das mamas.

Aqui vale dizer que usuárias de anabolizantes, a base de hormônios masculinos, podem até piorar essa situação, pois essas substâncias levam à atrofia do tecido mamário composto por glândula, que dá lugar a tecido de gordura. A chamada liposubstituição.

Vale lembrar, obviamente, que exercícios físicos aeróbicos e anaeróbicos, realizados de forma equilibrada, são sempre recomendados para a manutenção de uma boa saúde global do organismo.

Quando procurar ajuda?

Se você tem essas características citadas acima, e se sente mal com isso ao se olhar no espelho, é hora de procurar ajuda. Depressão, ansiedade, angústia, baixa autoestima, insegurança, falta de autoconfiança, dificuldade para se vestir são algumas das consequências relatadas. Sinta-se bem com você mesma. Não espere o momento de tomar essa atitude para agradar ninguém. Pergunte-se se não é hora de você se sentir bem com você mesma. A partir disso, tudo é consequência. Portanto, não há por que se sentir envergonhada para admitir que sofre desse problema. Lembre-se: assim como você, muitas mulheres que se encontravam em situação semelhante deram o primeiro passo rumo ao resgate de seu amor próprio, e hoje encontraram a tão sonhada felicidade.

por Dr. André Ahmed